Quando Uma Loja não é Suficiente

A MAÇONARIA REGULAR E SEUS CORPOS AUXILIARES E ENTIDADES PARAMAÇÔNICAS MAIS CONHECIDAS

Irm Luíz Carlos de Castro Alves Júnior [1]

1- INTRODUÇÃO

O presente estudo tem a intenção de apresentar de os principais corpos maçônicos auxiliares e as entidades complementares ou paramaçônicas mais projetadas e conhecidas no mundo, demonstrando através das descrições como o surgimento e patrocínio dessas instituições pela Maçonaria regular remonta, principalmente, aos séculos XVIII e XIX e é de grande repercussão na Europa Ocidental e Estados Unidos da América – EUA, bem como sua disseminação nesta República Federativa do Brasil a partir dos anos 1980.

Cumpre destacar que o fato de a Maçonaria de origem anglo-saxã preservar o lema original da instituição (“amor fraternal, amparo – ou ‘socorro’ – e verdade”) está diretamente ligado com a instituição nos EUA ser responsável pelo patrocínio de grandes obras de caridade naquele país através de seus braços paramaçônicos, como é o caso da Shriner’s International, a maior entidade filantrópica do mundo que patrocina hospitais de cuidados para crianças. Na América Latina, por influência francesa, ficou estabelecido o “igualdade, liberdade e fraternidade”, que não é o lema da Maçonaria, mas da Revolução Francesa (1789), ou seja, em terras tupiniquins há mais uma reverência por fato já ocorrido e conquistado (“igualdade, liberdade e fraternidade”, como pode-se contemplar nas Declarações de Direitos e Constituições do mundo ocidental) do que a busca por algo que se deve realizar (o amor fraternal, o socorro e a verdade).

As entidades de origem estadunidense que são iniciáticas ou ritualísticas tem a maioria de seus rituais inspirados no Rito de York que, simplificando ao máximo a questão dos ritos e graus simbólicos e superiores nos EUA, é o que impera nas Blue Lodges americanas, originadas da organização do Monitor de Webb (1797). Mesmo já havendo registros de paramaçônicas em 1843, o surgimento de instituições hoje grandes e conhecidas com a Ordem DeMolay não foi fácil. Em 1919 Frank Sherman Land sofreu a mesma crítica que ocorre ainda hoje no Brasil: “estão colocando menino para brincar de Maçonaria dentro do templo”, diziam. Aí foi necessário Dad Land buscar apoio de grandes corpos maçônicos – no caso da DeMolay, foi o Grande Capítulo de Maçons do Real Arco de Missouri o primeiro apoiador. É no Real Arco que está toda a filosofia por trás dos rituais escritos por Frank Marshall.

Em todo o Brasil desde a década de 1980 o surgimento e crescimento das entidades paramaçônicas, sobretudo as juvenis, é vertiginoso. As Grandes Secretarias especializadas para essa pasta começaram a surgir e as Obediências perceberam-nas como instâncias importantes em sua estrutura administrativa e não apenas como mais um cargo para distribuir politicamente. O Grande Oriente do Rio de Janeiro – GORJ, Obediência integrante da Confederação Maçônica do Brasil – COMAB, por exemplo, desde a década de 2000 tem uma Grande Secretaria de Assuntos Paramaçônicos deveras organizada que conta inclusive com logomarca própria. No mesmo sentido trabalha a Muito Respeitável Grande Loja Maçônica do Estado de Pernambuco – Glepe, esta integrante da Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil – CMSB. O Grande Oriente do Brasil – GOB, com sua estrutura federativa, tem uma Secretaria Geral e Secretarias estaduais em cada unidade federativa. Na estrutura nacional do GOB além do Grande Secretário da pasta, há um adjunto para cada entidade paramaçônica existente sob o patrocínio daquela Obediência.

Leia o artigo na íntegra no seguinte endereço: http://ritoserituais.com.br/ Quando Uma Loja Não É Suficiente.pdf

1 – Obreiro da ARLS “Fidelitas nº 59” (Rito de York) – Muito Respeitável Grande Loja Maçônica do Estado do Maranhão, cadastro nº 4707. Consultor do Capítulo “Juventude Fraterna nº 312” e do Priorado “Preceptores da Ordem do Templo nº 100” do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para a República Federativa do Brasil – SCODRFB. Guardião Promotor de Atividades Juvenis do Bethel #01 “Pureza Fraterna” da Filhas de Jó Internacional. Bacharel em Direito. Acadêmico do curso de graduação (licenciatura plena) em Ciências Sociais pela Fundação Universidade Federal do Maranhão – UFMA. Aluno do curso de Especialização em Maçonologia: História e Filosofia pela Uniacácia. São Luís-MA.
Rodrigo de Oliveira Menezes

Rodrigo de Oliveira Menezes

M.'.M.'. da Loja Amizade, Trabalho e Justiça nº 36, Or.'. de Umuarama, filiado ao Grande Oriente do Paraná, filiado ao Supremo Conselho do Grau 33 do Paraná, Supremo Grande Capítulo de Maçons do Real Arco do Brasil e Conselho de Maçons Crípticos do Brasil.

Deixe uma resposta