A Luz com 3 Golpes de Malhete

O seu nome era Dias, e nem o sabia, mas pertence aquela categoria nominada de Maçons sem avental.  Doutor em Filosofia pela Pontifícia Universidade Urbaniana, Cidade do Vaticano.

O primeiro golpe foi dado em uma de suas aulas onde o tema era o Livre-Arbítrio de Santo Agostinho, é interessante notarmos que a grande maioria de nós utiliza o conceito de Livre – Arbítrio como o poder de tomar decisões ou com a ousadia de fazer oque lhe convir.

  • Afinal somos livres para isso não? Livres e de bons costumes,  um de nossos pré-requisitos. Mas fomos além, ao deparar-me bebendo direto da fonte que o livre-arbítrio na verdade é a pratica de boas ações que nos deixam mais próximos ao GADU. Explico, se cedermos as nossas vontades, que vem de nossos instintos, automaticamente saímos do ciclo virtuoso das boas ações e rumamos ao ciclo vicioso, a vontade todos temos, a questão é ter a “intenção de” o querer.. Podemos ter vontade de tudo, é natural, porém devemos querer as boas ações, as virtudes, sempre que fomos fracos no combate aos nossos vícios e paixões estaremos perdendo o livre-arbítrio. Aquilo havia me deixado reflexivo durante semanas.

O Segundo Golpe, ao contrário do primeiro que fez as marcações necessárias em minha pedra bruta, realmente tirou com a força necessária as lascas como um antigo pedreiro operativo fazia nos canteiros de obras em tempos mais antigos, de uma conotação mais espiritual, senti que aquela aula, laica como deve ser o ensino, mas carregada de uma profunda espiritualidade que a todos envolveu. Refletimos sobre o GADU e como é a RELIGIÂO que ao menos na tese deveria nos RE – Ligar com nosso criador, a realidade constatamos em diversos prismas é realmente diferente, o frio cortante do cinzel nos atingiu quando fomos levados a refletir sobre o quão seria ilógico rogarmos pedindo algo a um Ser Onisciente, que seria o mesmo que mandar uma mensagem não estaria cumprindo sua função cabida. E se e quando entendermos realmente a magnitude e profundidade do SER, do nosso existir, da quão sagrada e ao mesmo tempo efêmera é a vida, não teremos coragem de pedir mais nada. Vejam que para quem tem uma formação Católica Romana isso abala as estruturas de crenças e culturas,  não que o era fortemente, mas havia resquícios. Meu espanto foi que ao buscar na memória de minhas leituras no Livro da Lei, constatei que as mais belas e poderosas orações eram Louvando ou Agradecendo ao GADU, dificilmente alguma Oração Pedindo para si.

Impactado questionei aquele Mestre sobre a inconsistência dessa reflexão como não poderia um pai pedir a Força Criadora do Universo que não salve o seu filho de uma grave enfermidade? No qual ele me respondeu com a atitude de erguer uma cadeira no ar e soltando-a deixando cair, com olhos perplexos em sua direção, ele nos perguntou se a cadeira caiu e disse que ao cair nada mais fez que sua função enquanto cadeira no ar, cair.

Uma analogia para que se cumprimos nossa função enquanto SER , uma cadeira é uma cadeira nem o deseja deixar de ser, logo cumprira sua função enquanto a for. O homem morrer é um BEM, pois todo ser vivo é natural que um dia morra. Se algo não segue a lei natural isso estaria errado, logo um MAL.

Dizem quem uma aula boa é aquela que mexe com o espirito do aprendiz, essa com certeza o fez, e terminou dizendo que era apenas um ponto de vista e que antes de concordarmos ou não, termos fé ou não, usássemos a consciência da existência e poderes do GADU e que sempre que algo que julgássemos ruim ou bom nos acontecesse Louvássemos e Agradecêssemos ao Senhor, feito isso um canal seria restabelecido, fica aqui minha deixa para cada um fazer a sua experiência nisso, a minha se foi positiva ou não já é respondia por essa prancha.

O Terceiro Golpe deu beleza, com o espirito mais calmo, as reflexões foram em torno de São Tomas de Aquino, que dizia que antes de crermos temos que compreender ao contrario de Agostinho, material para vários trabalhos. A questão era O Bem e o Mal, a elucidação de que o Bem é o processo de sermos oque somos nem o desejarmos deixar de ser, obtido pelas práticas de boas ações que nos aproximam do GADU, porém incomodado novamente questionei como pode alguém ser feliz com a partida de alguém que ama.

Abriu-se uma nova abstração, oque é Felicidade? Contrario de Infelicidade. Alegria? Contrário de Triste. Foram refletidos diversos relatos de pessoas Alegres, mas infelizes como o caso de suicídio do ator Robin Willians que contagiava a todos com sua alegria, mas era infeliz pois realizou seu desejo de deixar de ser quem o era, tirando a própria vida.

Um ente querido ao partir para o oriente eterno pode deixar os familiares tristes, mas felizes, pois, a tristeza pela falta de um ente querido, mas a felicidade como resultado da compreensão que o Bem foi feito e cumprido em seu sentido natural. Profundo e complexo, mas nem por isso uma inverdade.

Bem e mal são representados por alegorias na descrição onde Adão e Eva consome o fruto da arvore da Compreensão, da sabedoria, onde se deu o pecado original que não é a sabedoria em si, mas o pecado original do homem começa quando o homem começou a determinar oque é Bem e mal segundo a sua perspectiva,  dai resulta o sofrimento e angustia pois como coloca Kant o homem não é capaz de determinar um fato imparcialmente, com neutralidade sem essa estar embebida em suas própria realidade. O Bem esta ligado ao GADU tudo que for fora e contrario a ele não foi criado por este mas sim é a ausência como o frio é a ausência do calor.

Como eterno aprendizes que somos, acredito que não lapidei a minha pedra mas umas de minhas pedra, e que podemos tirar lições de uma simples aula a mais complexas reflexões, que possamos nos aperfeiçoar cada vez mais na construção de nosso templo interior e que acima de tudo utilizemos a vida como nosso canteiro de obra.

“All in all you were all just bricks in the wall” (Pink Floyd)

 

Ir. Bruno Oliveira

Loja Amizade, Trabalho e Justiça – GOP – Umuarama/PR

Bruno Oliveira

Bruno Oliveira

Mestre Maçom da Loja Amizade, Trabalho e Justiça, Oriente de Umuarama/PR filiada ao GOP - COMAB. Senior Demolay e Past MC do Capitulo Umuarama nº133 da Ordem Demolay - SCODRFB. Past-Sumo Sacerdote do Capitulo Umuarama nº 43 de Maçons do Real Arco filiado ao Supremo Grande Capítulo de Maçons do Real Arco do Brasil e Membro Fundador do Conselho Zohar filiado ao Supremo Grande Conselho de Maçons Crípticos do Brasil.

Deixe uma resposta